A criminalização do diferente
28/05/2021

A criminalização do diferente

Não consigo encontrar outra definição para convivência social no brasil do que um sistema de apartheid, apesar de negado pela maioria governantes e inúmeras instituições brasileiras. Creio que se há lugares que só tem negros numa cidade, ou só uma maioria branca, existe territoriedade, então existe apartheid. E essa separação tem como determinante a situação econômica, educacional, a infraestrutura do espaço, isso sinaliza e confirma o preconceito e o racismo institucionalizado.
Recebo muitas criticas por esse pensamento, mas não me faz recuar em defender que o motivo pelo qual as pessoas negam que a situação de separação exista, e que pra mim é tão cruel quanto negar a existência do outro se humano, é uma tática para manter os privilégios que a criminalização dos diferentes proporcionam aos brancos que são maioria nas esferas econômicas e de poder.
Vejo que no País estabelece uma hierarquia em que a raça branca domina o resto da população. Há lugares que um grupo étnico de pessoas pode ou não ficar ou frequentar devido sua cor ou diferenças culturais, mas que a branca pode desfrutar do espaço que quiser.
Jamais aceitarei que as pessoas não ficam assustadas com um monte de homens brancos políticos, em seus ternos alinhados, vindo em sua direção, mas temem quando um grupo de jovens negros desarmados se aproximam. Com o uso da caneta ou não, esses homens engravatados podem determinar a morte de milhões, e ninguém fica desviando deles em algum espaço que estejam juntos como fazem com os jovens pretos.
Nunca assisti uma cena em que pessoas agarram suas bolsas firmeza quando vê um político, leia-se homem branco, vindo em sua direção, mas fazem com jovem negro mesmo ele portanto seus livros nas mãos, ou usando o uniforme de trabalho. O homem branco pode roubar milhões, até enche o apartamento de dinheiro roubado dos cofres públicos, no entanto, tem passe livre para circular em qualquer lugar sem ser importunado.
Ai dizem que não dá para saber se uma pessoa é ladrão só de olhar pra ela, mas isso parece ser só para o branco, porque o preto logo é identificado como bandido, só pela cor da pele.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *