Tempo de Agonia
28/05/2021

Tempo de Agonia

Penso que o País não tem avançado. A sensação que tenho é que economia agoniza rumo a uma catástrofe, caso os governantes continuem negando caos e não segurem às rédeas da situação com responsabilidade e entendimento. Pesquisei sobre os recentes números do desemprego no Brasil, ele é galopante e corre em disparada e já atropelou perto de 15 milhões de trabalhadores brasileiros.
Sei que não apenas eu percebo que o acesso das pessoas ao sistema saúde é cada vez mais desigual e precário, a pobreza extrema já bate na porta de milhares pelo Brasil a fora, e a fome assumiu protagonismo desse cenário de dor e desamparo na Pandemia. E o que mais me dói os pensamentos é a contradição insana de o Brasil ser um País com gigantescos recursos naturais.
Tenho noção que faço parte de uma nação rica pelo que produz os trabalhadores diariamente, mas como muitos tenho a ciência que o País é saqueado por um grupo organizado de falsos políticos e empresários. É uma única histórica desde o Brasil Colônia, são descendentes de uma casta maldosa de escravocratas que seguem a rotina de viver do sangue dos inocentes. A tática se sofistica, mas tem sempre como base a corrupção, a falsa moral e ideologia de raça superior embutida no conservadorismo.
A cara que vejo no congresso nacional e da presidência é de um senhor velho raivoso com ódio pelo diferente, sem disfarçar seu desprezo pelo filho daqueles que o serve, mesmo sendo ele na definição original, o servidor. Na minha opinião, é um bufão moderno que reina num misto de autoritarismo e ideias de picadeiro.
Sem pestanejar corta a verba da educação, das pesquisas, das estruturas universitárias, faz cara feio para menina de calças, é defensor da moral e dos bons costumes, mas amanhece nos prostibulo de luxo, bebendo uísque mais cara que o salário mínimo do sofrido trabalhador brasileiro.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *