Criança não trabalha, criança dá trabalho!
10/06/2021

Criança não trabalha, criança dá trabalho!

A grande verdade pra mim sobre a criança e o trabalho pode ser ilustrada pela poesia humanística da letra na canção do Arnaldo Antunes e do Paulo Tatit ” Lápis, caderno, chiclete, peão, sol, bicicleta, skate, calção, esconderijo, avião, correria, tambor, gritaria, jardim, confusão, criança não trabalha, criança dá trabalho”. Ou seja, é necessário viver com dignidade e alegria a sua infância.

O trabalho não dignifica a criança como é salutar no adulto para viver sua cidadania, pelo contrário, prejudica o seu desenvolvimento e fere a sua saúde, seja física, mental, além de não promover uma convivência social sadia.

Por necessidade, comecei a trabalhar com 13 anos para ajudar minha mãe no sustento da casa. Apesar de amparado no registro de trabalho, com direito a salário, descanso semanal e férias, o tratamento rígido, autoritário, que recebia dos meus patrões agredia o meu emocional. Isso é sério e, de acordo com os especialistas, pode provocar sequelas para toda vida.

Fiquei assustado e triste com os recentes dados da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio (PNAD) que indicam que cerca de 3 milhões de brasileirinhos entre 5 e 12 anos já são empregados na força de trabalho no País. Pelo mundo, são 152 milhões de crianças, entre e 5 e 17 anos, vítimas do trabalho infantil, perto de 70 milhões delas realizam serviços perigosos e 58 milhões estão no trabalho doméstico.

A Organização Internacional do Trabalho (OIT), em sua convenção 182, estimula a a proibição e eliminação do trabalho infantil, nele o serviço forçado, o tráfico de crianças, a escravidão e a utilização delas em conflitos armados, a prostituição, a pornografia e atividades ilícitas como tráfico de drogas.

É, no meu ver, sempre hora e o momento de se mobilizar contra a exploração do trabalho infantil, por meio de ações permanentes que visam alertar e conscientizar a sociedade sobre esse nefasto problema social.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *